Dez guitarristas se apresentam gratuitamente no Farol da Barra

Armandinho, Davi Moraes, Andreas Kisser e Robertinho de Recife estão entre as atrações do Brasil Guitarras neste sábado.

Guitarra de A a Z

Seja no jazz, no rock, no axé ou na MPB, a guitarra está sempre presente. E é esse instrumento que vai ser festejado neste sábado (7), no Farol da Barra, às 18h, no Brasil Guitarras, evento com entrada gratuita que junta dez dos maiores guitarristas brasileiros  de vários gêneros. As apresentações vão reunir duplas de instrumentistas em cinco blocos de meia hora e, no fim, os dez fazem uma grande jam session para tocar Aquarela do Brasil e o Hino Nacional. A TVE transmite ao vivo.

A primeira dupla é Davi Moraes e Toninho Horta. Depois, na ordem: Marcelo Barbosa e Frank Solari; Edgard Scandurra e Luiz Carlini; Andreas Kisser e Kiko Loureiro; Armandinho e Robertinho de Recife. “Queríamos um painel da música brasileira, fruto de uma grande mistura. Não à toa, temos samba, choro, bossa, maracatu... E também grandes compositores eruditos como Radamés Gnattali e Villa-Lobos”, diz o baiano Reco do Bandolim, 62, diretor musical do projeto e presidente do Clube do Choro, em Brasília.

Duplas
“Essa diversidade brasileira está presente também na nossa guitarra. Além disso, queríamos uma seleção representativa do Brasil por região, com gente de Pernambuco, São Paulo, Bahia, Minas Gerais...”, acrescenta Reco.
Se a MPB estará representada por Davi Moraes e Toninho Horta, o metal também terá vez com Kiko Loureiro (Megadeth) e Andreas Kisser (Sepultura). “Eu e Kiko nos conhecemos há muito tempo e nossas bandas já tocaram juntas. Eu toco duas músicas sozinho do meu disco de 2009 e Kiko também toca só. Depois, a gente se junta para uma jam, que deve ter blues e Santana”, diz Andreas.
O guitarrista do Sepultura faz muitos elogios à música instrumental brasileira: “Ela é fantástica! Tem desde Villa-Lobos a Egberto Gismonti, além de Baden Powell, a bossa... E temos ótimos músicos que fazem parte de grandes bandas brasileiras”. Para ele, a música instrumental, embora não seja largamente consumida, sempre vai encontrar o seu nicho: “É um gênero pouco ouvido no rádio e  não é uma música apenas para ficar ‘curtindo’. Mas é para se ouvir com mais atenção e tem seu público”.
O baiano Armandinho, que vai se apresentar com Robertinho de Recife, promete uma homenagem aos inventores do trio elétrico, Dodô e Osmar. O repertório mescla um de seus primeiros sucessos, É a Massa, com clássicos do frevo pernambucano, como Vassourinhas. Nas mãos de Armandinho, em vez da guitarra tradicional, a guitarra baiana: “Já toquei a guitarra (tradicional) na Cor do Som, mas hoje gosto de usar a guitarra baiana, afinal é exclusividade nossa”, diz o músico.
Hoje, a partir das 15h, será realizada gratuitamente, no Salvador Shopping, uma oficina com o luthier Elifas Santana, produtor de instrumentos musicais. Um de seus clientes, Armandinho fará pocket show. As inscrições para o evento, no entanto, estão encerradas.
Farol da Barra. Amanhã, 18h. Com:  Davi Moraes e Toninho Horta, 18h40 | Marcelo Barbosa e Frank Solari, 19h20 | Edgard Scandurra e Luiz Carlini, 20h | Andreas Kisser e Kiko Loureiro, 20h40 | Armandinho e Robertinho de Recife, 21h20 | Todos os músicos juntos.

Fonte: Correio

Guitarra de A a Z

O mundo da guitarra é aqui!.